A Natureza como modelo na construção de Casas Ecológicas, Habitats Sustentáveis, Tecnologias Vivas e Comunidades Sustentáveis.

Nature as the model for the construction of Ecological Houses, Sustainable Habitats, Living Technologys and Sustainable Communities.

domingo, 19 de agosto de 2007

Material de demolição (clique para ver as imagens)



Casas antigas dão lugar a novas. Acontece o tempo todo, em todo lugar. Aqui também. E o que ia pro lixo muitas vezes pode ser aproveitado. Então reaproveitamos!

Janelas boas, necessitando de limpeza, pintura, troca de vidros. E a preços convidativos. Mas é preciso procurar, escarafunchar a cidade, de um canto a outro, fazer contatos, perguntar, estar atento.

Cidade média, perto de 100 mil habitantes, Itajubá guarda ainda um ar interiorano. Muitos são os carroceiros na cidade, gente que ganha o pão com o trabalho animal.

Reflito até que ponto compensa, é ético, utilizar desse transporte. O animal é bem tratado? A cidade trata bem dos humanos e seus animais? Em tempos de aquecimento global vale a tração animal? A sustentabilidade, como fica?

Não tendo todas as respostas, reflito sobre a questão. Alguma dica por aí?

4 comentários:

Angela disse...

Inclusão social não se faz com maus tratos aos animais.
Eu sei: O cavalo está magrinho e judiado mas os que estão em cima da carroça encontram-se na mesma situação!
Geralmente os cavalos são maltratados sim, mal alimentados,trabalham além de suas forças e quando fraquejam são acoitados,(ficou na minha memória uma cena de minha infância onde vi um cavalo exausto sendo chicoteado...Chorei um tempão.)
Quando ficam doentes muitas vezes são espancados, abandonados ou levados para abatedouros.
Claro que existem cavalos bem cuidados, mas não é a regra.
Penso que uma fiscalização conjuntamente com uma concientização de como tratar o animal poderia resolver o problema em parte. Em São Paulo existe uma lei 11.478 de 1994 e 11.887 de1995 que proibe o emprego de veículos de tração animal, de carga ou montados. Mas particularmente, acredito que se o animal fosse realmente bem tratado não precisariamos da proibição.

Fabio disse...

Tá com pena do cavalo? desde que existe homem, o cavalo sempre esteve presente no trabalho da humanidade, regiões foram exploradas e fundadas graças ao trabalho animal, se tem um cavalo magrinho aqui ou ali...é normal. existem ser humanos sofrendo muito mais do que os cavalos em questão, e se a humanidade voltasse no tempo e passase a usar mais tração animal, seria a atitude mais inteligente que jah tiveram. Coitado , seria do dono desse cavalo magrinho e mal alimentado, se não o tivesse...poderia estar pedindo esmola, ou mesmo roubando você!

Anônimo disse...

Já morei em área rural e andei muito de carroça. Posso dizer com certeza que o animal da foto está extremamente saudável e com ótimo aspecto. Além disso, toda a tralha da carroça (equipamento usado para o animal puxar) está em perfeito estado. Parabéns ao carroceiro por tratar bem do animal e manter muito boa a condição dos arreios. Henrique

Anônimo disse...

Gente, isto não é um cavalo e também não está magrinho. Ele está fazendo o trabalho dele. É um animal pra puxar carroça. No nordeste isto é visto todo os dias. Eles andam quilometros a procura de agua, carregando os latões. e quando eles não carregam quem precisa fazer o trabalho são as pessoas, que as vezes aguentam bem menos que essas mulas ou jumentos.